Comprando na LojaBat – Uma boa loja?


Nesse vasto mundo que encontramos no Google, existem várias e várias Mega Store’s de Livros e Quadrinhos, e o que sabemos é que nem sempre a loja é de bom agrado (né dona Comix?). 
Mas hoje eu lhes trago uma esperança de uma boa loja virtual que vale a pena conhecer, a LojaBat – BatBanca

Recentemente comprei na LojaBat sem nenhum conhecimento dela, e adivinha, a loja é super agradável, tem um bom atendimento pelo facebook e pelo e-mail, entrega super rápida e sem enrolação na hora do envio do produto.


Como mencionei acima, sem enrolação para enviar o produto, fiz o pedido alguns dias antes do feriado e mesmo assim após a confirmação do pagamento (que levou apenas um dia útil) ele foi imediatamente enviado para mim.


O método de envio que eu escolhi foi o fixo da loja de R$: 8,00 (para até 3 quadrinhos capa mole) e chegou exatamente em uma semana, e veio bem protegido com uma segunda camada de uma parte de caixa para evitar amassados durante o transporte.


Agora um assunto que eu queria comentar é, eles enviaram super bem o produto mas, durante o transporte dos correios, a embalagem que usaram foi comprometida, teve um rasgo que ia da ponta a outra no pacote. Sorte que eles usaram uma segunda proteção, caso não tivesse essa segunda camada certamente o produto teria sido danificado e isso acabaria trazendo problemas para mim e para a loja, pois a loja teria que pagar o frete de volta e o envio de novos produtos ao meu endereço.

Se não fosse esse rasgo estaria perfeito *-*


A loja possui um visual simples e agradável aos olhos para todo colecionador, as formas de pagamento são várias e isso é uma coisa boa de se ver. O
 único problema que tive sobre eles é o acervo, achei limitado, poderiam investir mais em seus estoques, ter uma boa variedade de quadrinhos é algo legal de se ver em uma loja virtual.

Uma coisa que me chamou a atenção foi a variedade de itens diferentes que é oferecido, entre eles temos: Card Games, Revistas, Livros, Jogos de Tabuleiro e outras coisas que você só vai descobrir entrando na loja virtual deles. (Ah, as fotos do que comprei estarão no nosso instagram @neetbr, passa lá e confere!)

Abaixo encontra-se algumas informações.


08/10 – Realização do Pedido

10/10 – Pedido Aprovado
11/10 – Pedido Enviado
23/10 – Pedido Entregue

Nota do Atendimento: 4/5

Nota do Acervo: 3/5
Nota da Entrega: 4/5

Voltaria a fazer negócios: Claro que sim, atendimento de qualidade e sem enrolação! 


Pelos cálculos deu mais de uma semana, mas um dia depois do pedido ser postado no correio teve um feriado dia 12 (feriado das crianças), e tivemos sexta feira, que provavelmente os correios ainda tiveram o prazer de não enviar o produto, o que significa que o o pedido só se movimentou dia 16 (segunda) e foi entregue em meu endereço dia 23 (segunda). 


Mas não tenho do que reclamar, foi entregue tudo certo e rápido e é isso que vale. 
Bem, é aqui que nos despedimos, nós encontraremos na Quarta com nosso amado Resenhando Mangás!

Anúncios
Publicado em 2017, Sem categoria

AnimeTopic #14 – Boku no Hero Academia (1ª Temporada)


E enfim Naruto acabou. Eu estava ali vendo o fim do mangá/anime que me fez gostar do que hoje é o principal tema desse blog. Em meio as fanarts de homenagem ao fim do mangá, eu via algumas outras, que não entendia, do nosso eterno aspirante a hokage passando o bastão para um garoto franzino de cabelos espetados. Mas quem seria ele, de onde saiu?


Por muito tempo, fui resistente a descobrir a resposta a essa pergunta e, fazendo esse texto, só percebo o quanto eu estava errado. Aquele seria um dos meus animes favoritos um dia. Sim, esse é Boku no Hero Academia!

Mas afinal, o que há de tão interessante em BHA, ou melhor, o que faz dele uma história que valha a pena ser acompanhada?



Toda lenda tem seu começo


A história foca em torno de Izuku Midoriya (ou deku, se preferir), um adolescente que sonha em se tornar um super-herói,
mas num mundo onde 80% das pessoas tem poderes, ele faz parte justamente dos 20% da população sem um poder especial, também conhecido como Individualidade. Depois de um encontro casual com seu ídolo All Might, e de uma série de acontecimentos, Midoriya encontra uma maneira de se elevar acima de suas circunstâncias biológicas e se matricula na prestigiada U.A. High School na esperança de fazer seus sonhos se tornarem realidade.

Como vimos, é um enredo bem simples chegando a ser até clichê. Temos aqui uma premissa bem genérica de um Battle Shounen, com um protagonista que deseja algo além de sua capacidade e que faz de tudo para chegar ao seu objetivo final. Mas o que BHA consegue é reproduzir isso de forma diferente, não de forma original, mas sim conseguindo trazer vários clichês já vistos em outras obras, de forma bem resolvida e principalmente bem colocada em seu devido lugar de tal forma, que nos leva à querer gostar dessa história, mesmo não sendo uma revolução no gênero. Gosto de dizer que é uma obra que aproveita todo o potencial de vários clichês de outras obras parecidas por aí. 



Nossos aspirantes a heróis

Por ser o diferente entre seus colegas de classe, Midoriya é extremamente tímido e ofuscado, especialmente em contraste com seu rival de infância, Katsuki Bakugou. O protagonista é o personagem mais “raso” de certa forma. Ele é o personagem com menos camadas da obra mas, mesmo assim, é um protagonista que funciona, por conta dele ser o altruísmo puro, ele serve de inspiração para todos os outros personagens, fazendo assim a historia rodar.

Por outro lado, apesar de ser um valentão egocêntrico inclinado a destruir os outros em favor de si mesmo, Bakugou teve um gigantesco amadurecimento à medida que a série progredia. É claro que ele continua tendo alguns problemas de gerenciamento de orgulho e raiva, o que é uma característica marcante do personagem, mas sua vontade de ser um herói e proteger a sociedade dos vilões que ameaçam a paz é uma qualidade admirável que o torna muito mais do que um cabeça quente unidimensional.

Eu falei de Naruto no começo do texto, e é legal perceber que aqui também temos meio que uma dinâmica “Naruto vs Sasuke”. Enquanto o Midoriya é o altruísmo puro, que acredita que o melhor herói é aquele que salva todo mundo, o Bakugou é literalmente o poder, pelo poder, para o poder. Ele acredita que o melhor herói é o mais forte, o mais poderoso. Se não me engano, o All Might chega a dizer que juntos, os ideais dos dois unidos formariam o herói perfeito, e esse é outro ponto legal desse arco, os estudantes questionando o que forma o conceito de herói de verdade, assim como os vilões os questionando sobre o porque dessa sociedade ser assim, onde instantaneamente se você tem poderes mas não consegue ser um herói, você é um vilão e ponto. Isso vai ser trabalhado melhor na segunda temporada, mas logo agora já vão sendo colocados alguns pontos de interrogação na sua mente. BHA é um anime que te coloca pra pensar, refletir, e é bom que um Shounen de porrada pra galera jovem faça isso.

Bom, da mesma forma, o resto do elenco de estudantes possuem multicamadas, e cada um deles conseguem despertar o interesse devido a suas individualidades bem criativas. Do representante de classe, Iida Tenya, que nasceu com motores na perna, até a meiga e inocente Uraraka Ochako, que pode fazer qualquer coisa levitar simplesmente com um toque, o anime possui um elenco colorido de personagens diversos e únicos, mesmo o personagem mais secundário tem a sua chance de mostrar o seu valor ao espectador.

O mesmo pode ser dito para o “Símbolo da paz”, All Might, que é muito mais do que apenas um grande cara com um grande sorriso. Sim, até mesmo os heróis mais poderosos têm suas fraquezas e precisam da ajuda dos outros de vez em quando, e o segredo incapacitante dele é excelente para demonstrar esse fato. Além disso, o vínculo que ele forma com Midoriya, no papel de mentor para um herói, cria uma dinâmica reconfortante cada vez que os dois estão juntos na tela.

A força de um elenco bem desenvolvido cria uma história que te puxa e não solta mais. As dicas sobre um romance em ascensão entre Uraraka e Midoriya (ainda que bem leve) são bem divertidas, indo aos limites do gênero de forma convincente, mesmo sendo um Shounen. Além disso, a luta de Midoriya para provar a si mesmo e ganhar o respeito de Bakugou, apesar do implacável desdém pelo protagonista, fazem alguns momentos de drama cheios de tensão realmente impactantes, alimentado por uma rivalidade que se estende pela história inteira.

O mais impactante de todos, no entanto, é o vínculo entre Midoriya e sua mãe. Observando seu relacionamento evoluir, como sua mãe percebe que ela deveria ter apoiado seu filho sem poderes em sua busca para se tornar um herói, deixando com certeza qualquer um com os olhos marejados. Esta relação não só proporciona uma janela para a vida familiar do nosso protagonista e suas inseguranças, mas também leva a questão da importância da família, não importando o quanto os sonhos possam parecer impossíveis de realizar.


Quero Mais!


A primeira temporada de BHA oferece treze episódios de muita ação, elevados por uma história sincera em torno de um elenco de personagens únicos. Enquanto seus vilões vão ser mais trabalhados no próximo arco, o palco foi preparado para uma segunda temporada apresentando novos e emocionantes desafios para nossos aspirantes a Heróis!

O estúdio Bones está no comando técnico do anime, o que é ótimo para um Battle Shounen, trazendo mais qualidade na obra e assim conseguindo satisfazer a todos. Ainda sobre questões técnicas, o anime se sai muito bem, com uma animação fluída que consegue se sair acima da média em momentos de ação, elevando-se  a um patamar de alto nível e apresentado uma boa consistência. Boku no Hero Academia é uma obra simples, de fácil simpatia, que usa com excelência clichês de um gênero consagrado, fazendo o espectador ter uma bela nostalgia.


Então é isso pessoal, esse é o começo do nosso especial, no próximo post eu irei me aprofundar mais nos conceitos e dilemas desse anime, até porque a segunda temporada trata bastante disso, então aguardem!!
Até a próxima galera!


Avaliação


Direção: 
10
Roteiro: 10
Trilha Sonora: 10
Animação: 10
Personagens: 10


Ficha Técnica


Fonte: Mangá

Gênero: Ação, Comédia, Escolar, Shounen, Super Poder

Estreia: 03/04/2016

Diretor: Kenji Nagasaki (Classroom☆Crisis, Gundam Build Fighters)

Estúdio: Bones (FMA, FMA: Brotherhood, Noragami)

Episódios: 13

MAL: Aqui!

(Esse é um especial que vai ser dividido pelos arcos do anime, então quanto mais o anime for avançando, mais perto de ter a continuação do post sacaram?)

Publicado em 2017, Boku no Hero Academia, Outubro

Resenhando Mangás #5 – The God’s Lie – Os Deuses Mentem!


Olá Pessoas lindas e maravilhosas, como tem passado vocês? Bem? Maravilha!

Por que hoje vou quebrar seus corações com essa história de drama e quem sabe romance? Vamos descobrir isso juntos?

Hoje estou aqui para mostrar o início, meio e o fim da história de The God’s Lie, um mangá de Drama e Seinen da autora Kaori Osaki. E antes de começar, quero dizer que esse mangá foi uma leitura rápida e prazerosa que recomendo fortemente. Bem, vamos ao que interessa.


Ficha Técnica!


Volumes:
01 (One-Shot)
Status: Concluído
Gêneros: Drama, Senen
Autora: Kaori Osaki
Sinopse: Na escola para a qual Natsuru Nanao foi transferido, as garotas o ignoram. Certo dia, ele descobre o segredo de Rio Suzumura, uma colega de sala… Tardes de verão, um festival, um gato branco chamado “Tofu”. O último verão do primário. A aventura secreta dos dois vai começar.

Enredo!


The God’s Lie começa com Natsuru Nanao conversando com Rio Suzumura, sobre coisas triviais, e é aí que somos introduzidos a história, contando qual a idade do Natsuru, que atualmente tem onze anos, que vive sozinho com sua querida mãe e que ele é odiado pelas garotas de sua escola por ter rejeitado a menina mais linda. 

Natsuru tem uma grande paixão por futebol e isso chama bastante atenção no final da obra, a história tem um toque de aventura que não foi muito explorado mais vamos deixar isso de lado.


Durante a trama, Natsuru acaba se apaixonado por Suzumura após ele passar um bom tempo com ela cuidando do gatinho que ele encontrou, e com isso ele falta ao acampamento de futebol por odiar o novo treinador, e com isso ele vai passar os dias do acampamento na casa da garota (Sei que alguns aí pensaram coisa errada :D). Lá, ele percebe que os pais da garota nunca estão em casa e ele, na curiosidade, acaba perguntando sobre isso e ela diz que eles estão em viagem, mas que logo, logo eles retornarão. Bem, os dias passam e nada dos pais da jovem garota voltarem e com isso ele se preocupa um pouco mas nada de mais.

Vejamos, vou parar de Spoiler agora para não acabar com a graça da obra, mas tem um mistério no jardim da casa que vai te surpreender e chocar.

Veredito!

Com uma trama simples e envolvente, e um pouco de clichê que te prende cada segundo, eu recomendo essa obra. Mas como toda obra tem seus altos e baixos com TGL não foi diferente, nosso querido protagonista não ter ficado com a heroína me irritou muito, eu esperava algo a mais com esse casal, mas não passou de mais nada além de um beijo que a heroína teve a iniciativa de roubar e, quando chegou perto do final, nosso protagonista recebe uma ligação duvidosa que te faz querer ler mais.

Mas nem sempre é como queremos, é a vida, tenho que me conformar né.

Em minha sincera opinião, essa obra poderia ter segurado o clima de mistério um pouco mais, para a autora poder ter mais tempo de pensar em um final mais decente. Fora isso, é uma leitura perfeita para quem quer passar o tempo ou quer conhecer pela primeira vez um mangá que não precisa ter todo aquele jogo intelectual.

Como dito antes, é uma obra com uma leitura leve, que serve para introdução de uma pessoa ao universo dos nossos queridos mangás.
Um ponto positivo para a obra foi seu desenvolver com o casal, mesmo sendo uma obra pequena deu para o leitor se apegar ao Natsuru, Suzumura e ao irmão mais novo da garota. 
Agora um ponto negativo (pelo menos pra mim): Ele tem aquele tipico final aberto para imaginarmos o que aconteceria a seguir, e isso é uma coisa que eu não gosto em obras (Alô Tite Kubo e sua obra Bleach com vários furos).

The God’s Lie foi publicado Pela Panini Mangás em Dezembro de 2016 com o formato de luxo da editora, tendo folhas em Off-Set, capa fosca com orelhas, com aproximadamente 200 páginas mas nenhuma página colorida, custando R$ 15,90.

Onde encontrar o exemplar para comprar:
Infelizmente nem a Saraiva ou Amazon tem.
Publicado em 2017, Resenhando Mangás, The God's Lie

Resenhando Mangás #4 -Blame! – Em busca do Gene-Modem!

Olá pessoas, curtiram o nosso novo layout? Eu sim, e achei incrível!

Hoje após uma semana sem Resenhando Mangás! (Sim, passou a ser semanal!) estou lhes trazendo uma mangá que me encantou em tudo, história, traços e além disso por ser uma obra do grande mestre Tsutomu Nihei, criador de Knights of Sidonia (Sidonia no Kishi), Bio-Mega e outras obras que em breve estarei apresentando nesse lindo post!

Blame! é uma obra de ficção científica que se passa em um futuro distópico, onde somos apresentados a Killy, um aventureiro que enfrenta ciborgues assassinos e estranhas criaturas em uma claustrofóbica estrutura vertical feita de aço e concreto para encontrar o gene que poderá salvar a raça humana da completa extinção! 

O mangá é recheado de ação e mistério, com uma pitada de gore (não ao extremo a nível de Berserk) que deve encantar a todos os amantes de Seinen. Esse ano ele ainda teve um longa pelas mãos da nossa amada Netflix com a animção CG da Polygon Pictures (Mesma de Ajin e Sidonia no Kishi). Ele foi concluído no Japão com 10 volumes e é publicado pela JBC aqui no Brasil, com seu sexto volume programado para sair ainda esse mês.

A obra é cheia de detalhes e emoções em seus traços, e uma coisa diferente nele é que a maioria da história é interpretativa, o que significa que o leitor terá que ser atento aos cenários.

A história começa com Killy, nosso protagonista que não é de falar muito, subindo os níveis da Mega-Estrutura em busca do Gene-Modem, com isso ele enfrenta vários ciborgues assassinos e encontra algumas pessoas. Após muitas batalhas ele é encurralado e encontra Cibo, uma cientista que uma vez conseguiu criar um gene-modem artificial, que logo falhou após ser detectado pela central da guarda.

Killy e Cibo vão juntos em busca de subir mais de 5.000 níveis para conseguir achar um humano puro


Veredito


É uma história empolgante e envolvente, que te prende a cada capítulo, fazendo com que o leitor fique ansioso para ler os próximos capítulos e chegar ao clímax de tudo. Sobre a leitura, ela é rápida e simples.

Duas curiosidades sobre o autor: ele sempre dá destaque ao preto e branco (Isso fica claro nas páginas coloridas) e ele adora a franquia de jogos Halo, por isso todas as obras dele se passam em estruturas enormes e normalmente no espaço.


Sobre a edição física


Blame! Está sendo publicado no formato de Luxo da editora JBC com:
Páginas internas coloridas.
Papel LuxCream (Mesmo usado no Death Note Black Edition).
Sobre-Capa em todas as edições (uma coisa que adorei e odiei Há há :D).
Pelo preço de R$23,90. (Preço justo por uma edição lindona como essa).

E aí? Ficou com vontade de ler? 

Recomendo que compre a edição física na Saraiva ou Amazom para ajudar, e quem sabe ajude a ter mais obras do Tsutomu Nihei no Brasil?

E aqui, nós despedimos até a próxima!
Publicado em 2017, Blame!, JBC, Resenhando Mangás

Kujira No Kora Wa Sajou Ni Utau #02 – Pecadores!



Olá pessoas desse querido mundo Otaku!
Hoje mais atrasado do que nunca (Sempre fui atrasado com minha agenda Há Há), venho lhes trazer as impressões do episódio dois desse anime que me agradou tanto nessa temporada de outono!


Antes de começar, gostaria de pedir desculpas pelo atraso, além da minha programação diária, o primeiro episódio desse anime teve atraso também. Mas chega de problemas e vamos ao que interessa!


O que aconteceu!


O que eu posso dizer desse segundo episódio? Bem linear, ele foi até bem calmo e tranquilo de acompanhar, com algumas leves mudanças de clima nos minutos finais. 
Nesse segundo capítulo fomos apresentados ao passado da heroína que nosso protagonista Chakuro salvou, e o que se deve dizer sobre isso? Bem chocante, já que mostra o motivo dela agir sem sentimentos ou compaixão ao próximo.

Por outro lado, Chakuro, após ter aceitado ir até a ilha novamente, descobre uma criatura que suga os sentimentos das pessoas chamado Nous, e isso acaba abalando ele por ter visto algo novamente que ele não quer esquecer mesmo sendo ruim para seu coração.


Agora uma coisa feliz antes do pior acontecer, uma vez por ano na Baleia de Lama (no post anterior está Baleia de Areia, já eu fiquei com o nome do que era escrito no mangá), acontece um evento onde dá para ver gafanhotos! Sim, isso mesmo, gafanhotos! E nesse evento vemos o primeiro amor de alguém surgindo para Chakuro e com aquela boa e velha história clichê da garota ficar com ciúmes da outra e quem leva a pior é o protagonista.

E por fim, um ataque a Baleia começa e termina com uma cena impactante com o que parece ser uma morte que me chocou e que deixa um gancho para o próximo episódio.

Finalização!


Bem, eu sei que ficou bem simples o post mais não tem do que mais comentar já que o anime é bem lerdo em seu andamento. Para compensar isto vou falar da Op/End. 
Nesse segundo episódio foi mostrado realmente qual a Op e qual a End e comparado ao do primeiro episódio, esse me agradou mais e com uma boa direção tanto de animação como de arte, ficou bem feito e como causa deixou a Op e End dele sensacional!

Lembrado que amanhã tem Resenhando! Não percam. Até a próxima!
Publicado em 2017, Anime, Kujira no Kora wa Sajou ni Utau, Review Semanal

Kujira no Kora wa Sajou ni Utau #01 – Ir além dessa Baleia de Areia!

Como todos sabem, durante o ano temos quatro guias de temporadas recheadas com animes, e sabemos também que nem sempre alguns são bons de verdade. Então pensando em vocês, nós da NEET! estamos fazendo impressões semanais.


E hoje vamos comentar um pouco sobre Kujira no Kora wa Sajou ni Utau.

Detalhes Técnicos

Fonte: Mangá
Gênero: Aventura, Mistério
Diretor: Ishiguro Kyohei (Kimi no Uso)
Estúdio: J.C Staff (Sakurasou, Dungeon ni Deai)
Episódios:
MAL: Aqui!

Sinopse:

O anime se passa em mundo coberto de areia aonde as pessoas moram em cidades móveis que viajam pelo deserto. Ao cruzar com uma cidade desabitada eles encontram uma garota quase morta, que vai mudar a vida de algumas pessoas daquela cidade para sempre.



Comentário


Eu não esperava nada desse anime que, do meu ponto de vista, era bem clichê (não preciso dizer que é né?). Mas peguei e fui assistir (Embora ele tenha saído atrasado e complicando minha vida haha). O Episódio em si me chamou a atenção com um certo “Mistério” que envolve encontrar outras pessoas em um mundo onde elas vivem fora da Baleia de Areia.

Sobre

O anime começa com o funeral de uma linda professora que morreu com seus 26 anos por ela ter nascido uma “Marcada”, como 90% dos habitantes da Baleia. Uma pessoa “Marcada” consegue usar Thymia (Magia desse universo) e os “Não Marcados” são “abençoados” com uma vida mais longa, e os líderes da baleia são pessoas não marcadas com mais tempo de vida para governar.
Ao sair da da Baleia, nosso herói vai se aventurar na ilha que encontram, e lá ele encontra uma linda garota que o ataca sem pensar duas vezes. Mas por causa de seu Thymia estar muito fraco ela desmaia. Nosso protagonista, muito inocente, a leva para a Baleia e damos início as aventuras que ocorrerão nessa incrível obra que me prendeu nesse primeiro episodio. (Vamos parar de spoiler por aqui?)

Ambientação e Animação


Uma coisa que não curti muito foi a ambientação (achei meio “Fosco” demais) com tonalidades de cores estranhas ao meu ver. 
A animação é aquela de sempre da J.C Staff então não tenho muito dos que falar ou reclamar.


Trilha sonora

Achei muito legal e animada a trilha sonora, mas mesmo assim, muito simples e num ritmo mais lento. Sobre a OP/END, não sei dizer ao certo se no final era a End ou a Op. Mas acho que seria a OP já que não tivemos no início. Achei muito calma e linda, não sei o motivo, mas me pareceu semelhante com a CDZ – Hades (Saga no Inferno) mas não é aquele parecido que não tiveram imaginação para fazer uma diferente, é um parecido que seguia a receita de calma e tranquilidade que você acaba gostando muito de ouvir por horas.


E aqui que nos despedimos nesse primeiro capítulo. Não tivemos muito do que comentar além de animação e trilha sonora, mas eu acredito que esse anime eu vou acompanhar sem problemas. Tipo, me “prendeu” aquele final, estou ansioso para o segundo episódio.


Curtiu o post? Quer ajudar o NEET!? Então compartilha com os amigos para dar aquela ajuda e lembrando que já tivemos mais três impressões no blog.


Tivemos:

Mahou Tsukai no Yome da nossa querida Brenda.
Kino no Tabi: The Beautiful World do nosso amigo Jin-Kun.
Just Because!  do menos querido João. (Mentira João, nós te amamos Ha Ha s2)

Publicado em 2017, Anime, Kujira no Kora wa Sajou ni Utau, Outono, Review Semanal

Recrutamento!!!



Nosso blog está passando por um leve crescimento, e isso é ótimo, tanto pra mim quanto pra vocês. Porém, só contamos com 5 pessoas na equipe no momento, então quem se interessar em participar do blog, tiver tempo livre, pelo menos um pouco, entre em contato conosco para um dos cargos abaixo. Não temos restrição de idade, contamos com vocês!!!
1. Redação de posts
Pessoas que queiram escrever posts! Como um dos objetivos do blog para o ano de 2018 é ter regularidade nos posts, seria legal ter mais gente para escrever para o blog. Se você gosta de anime e mangá, games, música asiática, cosplay , entre outros assuntos, e gosta de escrever sobre eles, você está habilitado a escrever pra gente!
2. Produção de mídias (vídeos de resenhas e comentários, etc.)
Se você gosta desses tipos de temas, mas não gosta de escrever, e sim produzir vídeos ou outra coisa do tipo, você também pode produzir pra gente e postar aqui no blog. Uma das metas pro ano que vem é expandir a parte multimídia do blog, então vídeos, podcasts e qualquer outra ideia que você possa ter junto conosco são mais que bem vindas!
3. Revisão de posts e mídias (de outras pessoas)
Também estamos precisando muito de alguém que se disponha a ler todos os posts novos e avaliar o conteúdo: se a gramática está boa, se (sobretudo) o conteúdo está bom, se não tem links quebrados ou tags que não foram fechadas! Às vezes eu reviso e pego alguns erros, mas nem sempre tenho tempo para revisar tudo, seria legal ter alguém só para esta função!
4. Produção de artes e do design do blog
E aqui, possivelmente a vaga mais difícil de ser ocupada. Não gosto tanto de desenhar e de Web Design mas sempre me encarreguei dessa parte. Porém, ultimamente me falta tempo e inspiração para fazer um monte de coisa, a parte visual do NEET! inclusa nisso …. Por isso, queria muito alguém que pudesse ajudar nessa parte, que soubesse fazer layouts e/ou desenhar, essa pessoa ficaria como encarregada da parte visual do blog.

Quem se interessar, pode deixar seu comentário nesse post mesmo ou pela aba “Contato” ali em cima que responderemos por e-mail.

Publicado em 2017, Sem categoria
Siga-nos no Twitter
Parceiros
fevereiro 2018
D S T Q Q S S
« dez    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728  
Matsueki

O Japão nunca decepciona